Pesquisar

Carregando...

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Intuição

Errados os que acreditam que somente os místicos, tarólogos e ligados ao meio esotérico a possuem. Todos possuem essa capacidade. O que diferencia algumas pessoas de outras, é que ela é mais presente em umas do que nas outras. A intuição é a capacidade do cérebro de procurar respostas para algo que temos que responder. E é um processo que pode ser usado não somente para fins místicos. Mas também no processo de decisão. 


Tecnicamente todos nós somos intuitivos. Mas há aqueles que acreditam mais nessa capacidade do que outros. E na realidade, às vezes não é fácil distinguir um simples pensamento de uma intuição. Por isso, ainda há pessoas desconfiadas. 


Para quem tem alguma dificuldade em entender alguns insights que recebe. Sugiro a prática do silêncio. Pode parecer louco, e ainda mais nessa vida que levamos que temos que estar sempre presente, falar e fazer algo. Acaba que o silêncio não é aproveitado... Mas acredite que isso irá lhe ajudar bastante.  Então, cultive o silêncio! 


Se você desejar entrar em contato com sua intuição, vão algumas dicas:

  • Cultive o silêncio. Se acostume a ficar sozinho alguns minutos do dia. Colocando seus pensamentos em ordem. E se quiser, anote coisas que lhe vem a mente;
  • Foque mais no presente. Aprenda com as lições do passado e mantenha boas vibrações para o futuro; 
  • Acredite mais na sua capacidade de intuição. Não duvide que pode tê-la. E se ainda assim for difícil. Anote no seu caderninho.

Tem um ritual simples que pode fazer para desenvolver sua intuição para fins mágicos. Você irá precisar de:


Uma taça de vidro com água
Uma vela lilás
Um incenso de artemísia ou rosa branca
Sente-se em posição confortável, coloque a vela atrás da taça tomando uma certa distância. Olhe para a taça de maneira confortável. (sem arregalar os olhos ou deixá-los estáticos demais). E se permita enxergar o que será mostrado. Em geral, as imagens vem como névoa. E depois vão tomando forma. Me lembro que da primeira vez que realizei esse exercício vi um cervo. E depois tive a confirmação de que ele é meu animal totem de proteção...


Realize quantas vezes quiser e achar que pode. Depois de um tempo vai perceber que sua intuição estará bem mais clara em relação a essa prática e a outras coisas que precisar da sua intuição também. Novamente deixo o Email de contato. Pois caso surja alguma dúvida, poderemos conversar a respeito. Então, tome nota: circulosmagicos@yahoo.com.br


Beijos em você!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Celebrações do sagrado feminino - Orixás & o sagrado feminino

É comum falarmos de arquétipos, e onde eles podem nos ajudar. Quando falamos disso, nos interamos da questão que precisamos desenvolver e aprender e nos apegamos aos arquétipos, estudamos, entendemos, vivemos e aprendemos... Essa semana li um artigo bem interessante sobre a orixá Nanã. Que no sincretismo, é Santa Ana. A avó de Jesus. Estudar o sagrado feminino e observar essa vivência na umbanda me deu a oportunidade de entender a manifestação do feminino, e sua capacidade geradora em tudo. 

Na umbanda temos entidades femininas importantes que chamamos de iabás. Que é originado do idioma iorubá (nativo da Africa). Que são elas: Yemanjá, Nanã, Oyá, Oxum, Obá, entre outras. Essas entidades regem o princípio feminino de cada casa. E quando uma médium tem em seu caminho espiritual a possibilidade de incorporar uma delas, é o marco para o desenvolvimento. 

Temos as três faces da deusa, as três fases da mulher. Oxum vem primeiro. Oxum, a bela moça. Estimulando a fertilidade e a sexualidade. O despertar.
Yemanjá,  a grande mãe geradora. que doou seu corpo para gerar e amamentar seus filhos. Ela é conhecida como a mãe de todos os orixás. E Nanã, a anciã que representa a sabedoria da mulher madura. A menopausa. 
Oyá, o tempo.  Que rege tudo, que acalma, apazigua os medos...A vivência. 

Eu como filha de Yemanjá, posso dizer que sou sempre maternal com os que me cercam. E preciso aprender a ser mais aberta com relação a isso. Cada mulher desenvolve um arquétipo. Ou mais de um. Isso tudo é aprendizado.

Yemanjá é um dos orixás mais conhecidos, respeitados e amados pelo mundo. E seu dia comemorado em vários lugares. São muitos motivos de devoção. O meu é pelo amor e pelo carinho que eu sei que ela tem por mim. E posso dizer que sinto toda essa proteção e carinho todos os dias. 
Abri e abro o meu coração para que a deusa atue nele diariamente. Me mostrando o caminho, me direcionando para o que preciso aprender e vivenciar. É um depósito de confiança, um descobrir e despertar diário. Façamos juntas então.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Um bate papo sobre tarot

Eu gosto de assistir programas onde o apresentador propõe uma discussão saudável sobre um tema. Seja ele qual for. Desde que a discussão seja interessante, você acaba se envolvendo e deixando a coisa rolar... E tem um programa que estou sempre assistindo. É o saia justa. Do canal GNT. E um dia desses o tema foi sobre oráculos. 
- O que levam as pessoas a procurarem esse "meio" para saber do futuro? 
E a conversa girou em torno disso. E cada um dos apresentadores falou sobre suas experiências em consultar oráculos. Um oraculista acertou grande parte, outro nem chegou perto, outro despertou desconfiança... E por ai foi.

O fato é que é difícil uma pessoa que nunca tenha ido. E o que não podemos deixar de citar (e o programa falou nisso). É a dependência excessiva desse meio para fazer tudo o que você precisa. Imagina, não poder fazer nada antes de se consultar com seu oraculista. A psicóloga que foi convidada explicou que na realidade, as pessoas buscam esse meio por que não sabem a maneira de agir em relação ao inesperado. Não possuem as respostas. Bem, disso a gente já sabia...

Faz sentido. Mas hoje graças aos deuses. Oraculistas de responsa estão engajados na questão do tarot como aconselhamento. No que acredito muito. (sem perder a essência). Pois isso colabora para o consulente entender que o futuro está lá. E que ele pode ser do jeito que é visto nas cartas. Mas que ele pode mudá-lo também. Tornado até melhor quem sabe?! Afinal não podemos esquecer do livre arbítrio. E ainda bem que ele existe! Tava conversando com  minha mãe isso hoje. 

Imagina uma pessoa que foi num oraculista e na tiragem ele recebe a informação de que terá um emprego muito bom... O emprego dos sonhos. Pois bem, dá na telha do indivíduo de voltar prá casa e simplesmente esperar esse emprego... E ai? O que acham que vai acontecer? Logicamente que não cairá do céu. E nessa hora o nosso querido oraculista certamente será culpado pelo infortúnio. Mas analisando melhor, de quem é mesmo a culpa? Sempre que tiro as cartas prá alguém. Digo sempre que o que ele terá como resposta as questões, é o que ele precisa saber. E não o que deseja. E deixo bem claro que tudo o que tá sendo observado ali pode mudar. E ele é o principal agente de mudança.


E ainda bem que todos entendem e muito bem!


Beijinhos em você!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Alguém pode me explicar o que tá acontecendo?!

Eu admito que tenho um gosto eclético. No geral. Mas quando o assunto é televisão, só assisto telejornais alguns filmes e documentários. Ah. E a novela das 18h. Só. 


Mas confesso que ultimamente está bem difícil encontrar um telejornal que espremendo não sai sangue! Sinceramente... Eu me pergunto se é no mesmo mundo que vivo. Mas perai... tenho a resposta. Eu certamente "não" vivo nesse mundo de violência. Eu sei que ela existe, mas não me deixo dominar por ela. 


Mas às vezes acho que as emissoras de TV querem exatamente o contrário... Que as pessoas morram de medo ao ter que sair de casa. A informação existe, e é papel delas transmitir isso aos telespectadores. Mas vamos combinar que ultimamente há exageros. Ultimamente não tenho assistido nenhum telejornal. Prefiro garimpar as notícias da internet. Acesso o site dos principais jornais e pronto. Decidi que não vou me deixar levar por essa onda... E se você pensa como eu, não ache que está ficando cri cri ou simplesmente sistemático demais. É que realmente as coisas estão complicadas...


Mas vamos fazer nossa parte: Transmitir energia positiva ao mundo, seja em nossas magias, através de nossos risos, amigos enfim, de diversos modos. Vamos emanar alegria e felicidade. Quem sabe os outros não nos imitam não é mesmo... hein!?
Beijos.

Sonho com cartas do tarot...

Eu sonhei com o cavaleiro de espadas...?

Foi isso que me perguntei quando acordei ontem de manhã... Fiquei um tempo tentando lembrar dos detalhes do sonho... Lembrei. Ele era loiro, (lindo por sinal). Estava em um cavalo branco... E estava apressadíssimo. Ia atravessar um pequeno riacho e eu o parei. Nossa! Ainda não entendi bem a mensagem mas vamos tentar... Parece sonho com príncipe encantado, com pressa por que precisa salvar a princesa??? (risos). Mas acho que ele não ia aparecer no meu sonho não... (risos). Prefiro acreditar na ideia do cavaleiro.

A síntese da carta é: Habilidades, clareza e destreza de pensamento. Papéis, burocracia, estudos, cirurgias.

Essa carta é ligada ao elemento ar. Denota um pouco de frieza em relação ao que desejamos. Digamos que um pouco de Maquiavélico. Ai nesse caso, devemos pensar na lógica: Os fins justificam os meio... Mas e as consequências??? 
Bom, podemos levar para o lado do intelecto. E colocar a cachola prá funcionar. E parar de andar em devaneios... A criatividade também ajuda nessas horas. 

Mas eu gostei bastante de uma mensagem que li sobre o arcano no site: Clube do tarot. Que diz o seguinte: 

O Cavaleiro de Espadas vem para avisar que o melhor é você organizar seus planos pessoais e criar a melhor estratégia para executá-los, avisa também de que você se encontra plenamente capacitado a tanto. Use o seu poder e agressividade interiores para executar essa tarefa. Agressividade bem dirigida é uma ótima ferramenta de ação. Deve tomar cuidado, porém com o excesso de racionalismo que pode afastar você de considerações mais afetivas e até mesmo éticas. O poder do guerreiro interior deve servir aos seus propósitos e não o contrário! Os fins podem parecer justificar os meios agora, mas trarão um preço amargo de se pagar no futuro.

Então vamos deixar a guerreira interna despertar, montar em seu cavalo e ir a batalha!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

O silêncio - Sabedoria indígena


Nós os índios, conhecemos o silêncio.  Não temos medo dele. 
Na verdade, para nós ele é mais poderoso do que as palavras. 
Nossos ancestrais foram educados nas maneiras do silêncio e eles
nos transmitiram esse conhecimento. 
"Observa, escuta, e logo atua", nos diziam. 
Esta é a maneira correta de viver.
Observa os animais para ver como cuidam se seus filhotes. 
Observa os anciões para ver como se comportam. 
Observa o homem branco para ver o que querem. 
Sempre observa primeiro, com o coração e a mente quietos,
e então aprenderás.
 Quanto tiveres observado o suficiente, então poderás atuar.
Com vocês, brancos, é o contrário. Vocês aprendem falando. 
Dão prêmios às crianças que falam mais na escola. 
Em suas festas, todos tratam de falar.
No trabalho estão sempre tendo reuniões
nas quais todos interrompem a todos,
e todos falam cinco, dez, cem vezes. 
E chamam isso de "resolver um problema". 
Quando estão numa habitação e há silêncio, ficam nervosos. 
Precisam  preencher o espaço com sons. 
Então, falam compulsivamente, mesmo antes de saber o que vão dizer.
Vocês gostam de discutir.  
Nem sequer permitem que o outro termine uma frase. 
Sempre interrompem.
 Para nós isso é muito desrespeitoso e muito estúpido, inclusive. 
Se começas a falar, eu não vou te interromper. 
Te escutarei. 
Talvez deixe de escutá-lo se não gostar do que estás dizendo. 
Mas não vou interromper-te.
 Quando terminares, tomarei minha decisão sobre o que disseste,
mas não te direi se não estou de acordo, a menos que seja importante.
 Do contrário, simplesmente ficarei calado e me afastarei. 
Terás dito o que preciso saber. 
Não há mais nada a dizer. 
Mas isso não é suficiente para a maioria de vocês.
Deveríamos pensar nas suas palavras como se fossem sementes. 
Deveriam plantá-las, e permiti-las crescer em silêncio. 
Nossos ancestrais nos ensinaram que a terra está sempre nos falando,
e que devemos ficar em silêncio para escutá-la.
Existem muitas vozes além das nossas. 
Muitas vozes.
 Só vamos escutá-las em silêncio.

Fonte: Blog dicas terapêuticas.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Poção do amor de Afrodite

Aproveitem a lua linda e maravilhosa desses dias. E amanhã ela entra na fase cheia. Perfeita para magias de amor. Mas vai uma dica importante: Se você já tem um amor e deseja que seja confirmado. Faça os rituais em lua cheia. Se você não tem ninguém, apenas realize rituais que aumentem seu poder de sedução. E esse com certeza é uma boa sugestão.


1 litro de água
1 pedaço de canela em pau
3 colheres (sopa) de mel
1 punhado de pétalas de rosas de jardim (brancas ou cor-de-rosa)

Na água fervente, coloque os outros ingredientes.

Para quem está procurando um amor, ou quer manter o seu. Ofereça o chá para a pessoa que você quer conquistar, ou beba sozinho.



Essa poção maravilhosa foi partilhada por nossa amiga bruxa de cozinha Alê. Que faz parte do nosso grupo "Bruxas de cozinha" lá no Facebook! Ficou curiosa (o) para saber mais a respeito? Acesse nossa página. E saiba como participar!


Beijos encantados!


Ametista

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Programação de Julho - Cirandda da Lua



Abraços Afetuosos,

Cirandda da Lua - Espaço de Desenvolvimento Humano
Rua Leopoldo Amaral, 43 - Vila Mariana
Tel.: (11) 2645 1237 - (11) 2645 1236
Soraya Mariani - Idealizadora e Coordenadora do Espaço Cirandda da Lua
Marina Lentini - Assessoria Criação

domingo, 10 de julho de 2011

As celebrações do sagrado feminino pelo mundo

Antes de começar a falar sobre o assunto. E postar os artigos. Vou contar como nasceu a idéia...
Estava finalizando o especial sobre arcanjos do blog, e deixei a mente viajar um pouco e pensei que de repente depois de um tempo eu poderia escrever mais sobre um determinado tema. Colocar mais especiais no blog. E me veio a cabeça... A celebração do sagrado feminino pelo mundo... Bacana! Legal! Comecei a pesquisar na net e eis que não encontro nada. Confesso que fiquei meio frustrada. Mas na hora lembrei de uma pessoa mais que especial e que se eu pedisse ajuda. Ela prontamente me forneceria todo o material que eu precisasse sobre isso. Essa pessoa foi a Soraya Mariani. Que gostou da idéia dos artigos e colocou o blog do cirandda da lua totalmente a disposição. Bem, para iniciar as leituras. Eu baixei um livro prá ter como leitura paralela ao blog. "A tenda vermelha". No entanto, a extensão do documento é txt. Então, terei que alterar a formatação para word, enquanto leio. E depois claro! Irei disponibilizar na nossa biblioteca. 

Todos temos o sagrado em nós. E para nós mulheres, essa conexão se torna um pouco mais fácil. Visto que temos a intuição um pouco mais aguçada, deixamos o lado emocional falar mais alto mesmo. E embora tenhamos essa facilidade. Ainda assim podemos encontrar "barreiras" para o encontro com o divino em nós... E era isso que estava faltando prá mim. 

A possibilidade de partilhar esses textos, vai facilitar essa conexão e me levar prá o que eu preciso reviver... E espero que eles te inspirem também. Pois esse é um dos propósitos.

Para iniciar esse ciclo. Escolhi um texto lá do blog  da Soraya. Que na realidade foi escrito pela Mirella Faur. Que fala do ressurgimento do sagrado feminino nos dias atuais.

"O ressurgimento do Sagrado Feminino nos traz uma nova visão espiritual. A espiritualidade centrada no culto à Deusa implica no respeito à natureza e à vida em todas as suas manifestações, no cultivo da compaixão e aceitação nossa e dos outros, no reconhecimento da intuição e sabedoria existentes – mesmo que latentes – em todos nós, na celebração alegra da unidade com toda a criação.

Para sentir o poder da Deusa, comece a perceber o sagrado em tudo que a cerca, em cada dia, em cada lugar. Talvez precise de algum tempo para notar e experimentar conscientemente momentos, vivências, encontros, que antes passavam de forma fugaz sem que você percebesse o seu valor. Adquirindo uma nova consciência a sua vida torna-se mais rica, um acontecimento ou encontro não mais é algo fortuito, as “coincidências” passam a ser facetas da sincronicidade cósmica.
A mulher tem um enorme poder dentro de si. Não é o poder sobre alguém ou contra alguém, é o seu poder inato e ancestral, a sua intuição, percepção, compreensão, compaixão, criatividade, amor e conexão – consigo mesma, com os outros, com o Divino.

Nas antigas tradições e culturas o poder criativo e renovador da Deusa eram o símbolo da própria vida, a Terra e a mulher eram consideradas sagradas sendo suas representações. Nos cultos e mistérios femininos honravam-se os ciclos eternos que marcavam a vida do renascimento à morte, e desta para um novo início através do renascimento. Vida e morte eram interligadas de forma misteriosa e divina, competindo às mulheres as tarefas de recepcionar e cuidar da vida (como parteiras, mães, curandeiras), assistir e auxiliar as transições (como xamãs e sacerdotisas) e servir como intermediarias entre o humano e o divino (profetisas, oráculos).

O poder da Deusa possibilita a expansão do potencial emocional, mental, criativo e espiritual inatos em cada mulher. O poder da mulher está na sua sabedoria, a compreensão intuitiva, imparcial e sábia dos processos e das surpresas da vida. Nem toda mulher pode ser jovem, bonita, culta, rica, mas todas as mulheres podem se tornar sábias, permanecendo serenas no meio do tumulto.

As mulheres que almejam o poder da Deusa cultivam uma forma diferente de espiritualidade, buscando expandir sua consciência, honrando a vida em tudo ao seu redor e transformando o mundano em sagrado. A chave para a transformação espiritual é o enriquecimento e o aprofundamento de sua vida interior, podendo assim acessar e confiar no seu Eu Superior.
Para nutrir e embelezar nossas vidas podemos usar inúmeros recursos, simples ou elaborados, como alguns dos seguintes:

1. Crie um espaço sagrado no seu lar, não somente através de um altar, mas usando sua inspiração, imaginação e amorosidade para que todos se sintam bem, protegidos, nutridos e amados;
2. Crie momentos sagrados – para si mesma ou compartilhando-os com amigos e familiares – caminhando na natureza, ouvindo música suave, jantando a luz de velas, lendo textos que nutram a alma, enriqueça a sua mente e elevem o espírito;
3. Entre em comunhão com a natureza, honrando a Deusa em todos os seus aspectos e manifestações. Não basta encher sua casa de plantas se você não entrar em contato real e profundo com a terra, a chuva, o vento, as nuvens, o Sol, a Lua, os animais – seus irmãos de criação;
4. Respire e consagre seu corpo como à morada da sua alma durante esta encarnação. Procure viver de forma saudável, fazendo suas opções com consciência, sem se agredir e sem culpar – a si ou aos outros – pelos seus problemas ou compulsões. Coma bem para viver melhor. Observe suas fugas e compensações, cuide da sua “criança” carente ou ferida ajudando-a a crescer, curando-a com amor e dando-lhe os meios adequados para se tornar forte e auto-suficiente;
5. Manifeste sua criatividade – escreva, borde, pinte, desenhe, faça colagens, modele argila, cante, recite, dance, aprenda algo novo, componha um poema ou canção, faça pão, comece um diário de sonhos. A mulher que não dá vazão construtiva à sua imensa capacidade criativa pode torná-la em energia destrutiva – contra si ou contra os outros;
6. Coloque em prática os ensinamentos espirituais. Não se contente em ler inúmeros livros ou participar de cursos e workshops se você não pratica aquilo que aprendeu. Para mudar, precisa viver de forma consciente, reconhecer e transmutar seus pensamentos negativos e ser sincera nas avaliações – suas e dos outros. Todas as experiências dolorosas da vida são aprendizados cujas lições podem contribuir para sua transformação. Algumas mensagens levam momentos para serem assimilados, outras, meses ou anos. Quando começar a compreender o significado dos acontecimentos da sua vida, você começou a crescer de fato e assim poderá abrir novas portas na sua vida, se usar a chave certa;
7. Encontre o equilíbrio entre o falar e o silenciar, se movimentar ou se aquietar. Procure se relacionar com pessoas que compartilham das mesmas buscas e que têm o mesmo nível vibratório. Participe de círculos de mulheres em que possa encontrar apoio para a sua jornada espiritual, em que possa confiar para expressar suas dores ou suas conquistas. Celebre a Deusa sozinha ou em grupo, encontrando assim a verdadeira fonte de seu poder, da sua cura e transformação. Cultive a Deusa dentro de você reconhecendo a sacralidade do seu corpo, da sua mente, das suas emoções, da sua vida. E ao reconhecer a Deusa dentro de si, você se tornará uma com Ela".



Autorizado porhttp://www.ciranddadalua.com.br/blog/

sábado, 9 de julho de 2011

Ajuda ao leão Ariel


Copiei essas informações da página dedicada a essa causa no Facebook. 

Ariel é um leãozinho nascido no dia 18/06/2008 no Instituto de Emanuel, que cuida de diversos animais selvagens. Ele nasceu por cesariana e devido a problemas associados à gravidez - a leoa mãe não o aceitou.

Devido à sua docilidade, ele cresceu dormindo na cama dos seus donos. Sempre muito mimado, Ariel tinha festas de aniversári
o e toda a atenção que ele merece....

Em uma brincadeira de enriquecimento ambiental, Ariel foi pular para pegar um balão no ar e caiu, machucando sua medula espinhal. Suas pernas traseiras foram afetados. A cirurgia foi necessária para remover o disco, assim, aliviar a compressão da medula espinhal. Devido a um longo período de tempo sem se exercitar, os músculos se atrofiaram e Ariel está temporariamente paraplégico.

Precisa-se urgentemente de medicamentos, exames, e os alimentos, pois cada animal do Instituto come 5 kg de carne por dia, além de artigos de higiene, limpeza, transporte, equipamentos e veterinário 24h. O custo para manter todos os animais do Instituto e, especialmente agora, é muito elevado.

Quem puder doar algo me ligue (11-6830-2000), quem tiver Pet Shop que se interesse a ajudar me ligue também, ou se você conhece um contato importante de alguma empresa que possa ajudar>> >Me ligue tambémm!!! Endereços para entrega (ligue antes pra confirmar caso escolha o endereço de São Paulo para ter alguém para receber as doações: Rua Ministro Sinésio Rocha, 229 - Pompeia - São Paulo - SP - CEP: 05030-000.....
Ou ...
Av. Melvin Jones, 294 - Pq. Industrial II - CEP 87070-030 - Maringa --PR

CONTAS BANCÁRIAS VÁLIDAS PARA DEPÓSITO IMEDIATO:

*** INSTITUTO EMANUEL / BANCO ITAÚ 341 / AGÊNCIA: 0932 / CONTA: 58054-1 / NÚMERO DE INSCRIÇÃO (substitui o CNPJ) 11254829000137

OU *** BANCO DO BRASIL: Agencia: 0352-2 C/Poupança: 54.578-3 - Raquel Ferreira Borges da S. (CONTA PARTICULAR)

Acessem a página no Facebook.

Então, Vamos juntos?

Estudos do Tarot

Fazendo um curso de especialização, ou simplesmente estudando e se desenvolvendo por conta própria. Cada um desenvolve um método só seu de estudo sobre os arcanos. O meu era (e ainda é) com tiradas de diversos modos, e anotando tudo o que vem a mente quando leio ou observo cada carta. Já cheguei a tirar foto também. Bem, se você está iniciando seus estudos sobre o tarot. Ou deseja algumas dicas diferentes de aprendizado. Acho que essas podem te ajudar.

Se acostume a cada dia da semana embaralhar seu deck e deixar sua intuição escolher uma carta. Veja seu nome, seu significado. Observe seus desenhos, as cores, a maneira como as figuras que nela se encontram ocupam a carta. Faça isso a cada dia da semana. E no final da semana terá uma tirada com exatas 07 cartas. Um número que eu e muitos consideram PERFEITO! Anote tudo no seu caderninho. 

E no final desses 07 dias você pode trabalhar de diversos modos com esse processo. Por exemplo, se o seu baralho for o baralho cigano. Você pode fazer uma mandala no seu altar e deixar no centro uma rosa, um cristal, ou uma fruta. E agradeça ao povo cigano e a Santa Sara pela luz daquele oráculo que está sendo ativado em sua vida. E o que escolher fazer com aquele objeto. Irá representar exatamente essa ativação.

Se preferir, crie mosaicos com cada uma das cartas, coloque ao lado de cada uma delas a representação do que você precisa e deseja, escrito em post it. E ative esses desejos através do fogo sagrado. Faça uma mandala ao redor do seu caldeirão com as cartas que você tirou. Sem precisar pedir nada. Apenas sinta a vibração de cada uma das cartas e o recado que elas desejam lhe passar. E nesse momento apenas sinta!

Aprendi que o tarot na realidade espera que você se abra a ele. Antes eu era muito metódica em relação a esse oráculo. Eu praticamente temia fazer algo diferente. E hoje ele praticamente me chama para que eu o faça. E quanto mais faço. Mas tenho vontade de fazer... (risos).

Você pode ainda desenvolver um "plano de estudos" sob a interferência da lua. Em cada fase da lua, você realiza um estudo diferente. Podendo ou não ser ligado àqueles aspectos que geralmente usamos: lua crescente - prosperidade; lua cheia - amor... e por ai vai... Faça diferente. Que tal trabalhar com as deusas lunares ligadas em cada uma das fases? E seus arquétipos? Se te interessou: Algumas deusas  ou divindades lunares:


Ísis
Ártemis
Diana
Parcas
Cibele
Circe
Hécate
Freya

Essas foram apenas idéias que você pode ou não aplicar. O que eu quis mostrar na realidade é que você pode se permitir a aprender muito mais com seu deck. E contanto que seja com muito respeito, ao oráculo e toda a ancestralidade que parte dele. Creio que você não terá "problemas". Primeiro respeite. E depois deseje aprender. O que vier, certamente será fantástico.

Boa sorte!!!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Lei da atração - A roda da fortuna

Quem assistiu ao programa caldeirão do Huck há cerca de 03 semanas. Com certeza se emocionou com a história da mãe que criava sozinha duas filhas sobrevivendo de vender geladinho e doces... Gente. Eu sei que tem pessoas que vivem com menos que isso, mas o fato é que ela acabou conseguindo boa parte do que havia desejado com uma ajudinha do universo... E não desanimou não senhor. Mantinha sempre as meninas estudando, a casa em ordem e emanando ao universo os desejos que ela queria que se realizassem...Ela aplicou a técnica da roda da fortuna. E o universo conspirou mesmo! Olha só que simples fazer:

1 Cartolina Branca
1 Foto sua
Fotos de coisas que você deseja.

  • Faça um grande círculo na cartolina e divida esse círculo de acordo com cada área da sua vida. Exemplo: Saúde, relacionamentos, trabalho, família. Pois bem, feito isso, você vai ilustrar cada parte dividida com o que deseja prá sua vida. Na área do trabalho por exemplo, uma foto do logo de uma empresa que você deseja muito trabalhar... Ou a foto de um lugar que você deseja trabalhar... E por ai segue. (coloque até dois desejos em cada área).
  • Ao lado de cada uma das fotos escreva afirmações que farão você alcançar aquele objetivo. Ex.: Eu desejo que isso (desejo) se realize em minha vida de maneira harmônica e completa. 
  • Coloque apenas 04 áreas em sua roda para que não haja dispersão. E dentro dessas demarcações até 02 desejos no máximo.
  • Assim que terminar de decorar. Coloque em local visível para você. Preferencialmente onde você veja todos os dias de manhã e de noite. Um exemplo: Seu quarto. 
Muito cuidado quando for lidar com a vida de outra pessoa. Visualize-a sempre bem, de bom humor, com sucesso, mas nunca expresse o que você julga ser ideal para ela. Não a coloque em situações que você acha que ela deveria estar. Você não sabe o que é melhor para o outro. Não se comprometa desse modo.

Seguindo os passos acima descritos, você elimina muitas dificuldades em sua vida. Visualizando sempre as figuras que colocou e lendo as frases que escreveu na Roda da Fortuna, você se alimenta com idéias positivas e nutritivas. Ajuda muito olhar a roda e pensar que tudo é fácil na sua vida.

Já estou fazendo a minha...


LivroFaça Dar Certo – Luis Antonio Gasparetto) 

Cozinhas com ares de magia...

É na cozinha que se faz a melhor magia...












Beijos...

segunda-feira, 4 de julho de 2011

A história do sagrado feminino

Do livro: O oráculo do código do graal - adaptado por Ametista

O código do graal é cantado em versos nas lendas do feminino e é também um modo de vida. Muito tempo atrás, de 7000 a 1400 a.c pelo menos, os povos primitivos que viviam da terra reverenciavam um criador do sexo feminino que, segundo acreditavam, eram responsáveis pela fertilidade e pela abundância na vida deles. Para esses povos, qualquer fêmea era sagrada, pois só as mulheres podiam criar a vida a partir do próprio corpo, à semelhança do criador em que acreditavam.

Esses povos viveram milhares de anos e a criação, a sua economia baseava-se na parceria e na partilha, os seus governadores eram servidores que se encarregavam do bem-estar de todos, a sua filosofia defendia e beneficiava a vida. As mulheres eram tidas em alta conta. Elas eram juízas, sacerdotisas, legisladoras, curandeiras e fazendeiras. Qualquer tipo de trabalho imaginável podia ser executado por um homem e por uma mulher, que trabalhavam lado a lado.

A sexualidade era sagrada. A sexualidade da deusa com o seu consorte, o deus, criavam abundância para as pessoas da terra. A sexualidade era considerada uma dádiva da deusa e um caminho para a divindade. As crianças também eram vistas como dádivas e as concebidas durante épocas sagradas do ano eram particularmente abençoadas e especiais.

Como sabemos disso? Por causa dos resultados de escavações arqueológicas na Grécia. A civilização da Creta minóica (2600-1400 a.c) foi considerada uma das mais avançadas da terra. Essa sociedade era citada como uma cultura em que a parceria realmente existia. A arte, a arquitetura e outros artefatos cretences foram encontrados demonstram suas realizações artísticas e sociais. Particularmente interessante é a total ausência de artefatos que glorifiquem a guerra. Também não existiam cidades fortificadas com muros para conter os invasores. Esse tipo de cidade só surgiu muito posteriormente. E a cidade de Creta tinha o sistema de governo concentrado no matriarcado. Ou seja, na mulher.

Por volta de 4000—3500 a.c, invasores chamados kurgans vieram do norte trazendo armas e um deus guerreiro. Esses kurgans, durante milhares de anos subjugaram a civilização da deusa, transformando uma civilização caracterizada pela parceria em outra de dominadores. O enfoque deixou de ser a arte, a criatividade, a expressão jovial da sexualidade e da fisicalidade e passou a ser a guerra, o medo, as armas. O culto festivo e celebratório, que celebrava a vida, tornando-a um paraíso na terra, passou a ser cheio de dor, sofrimento, morte e a certeza de um paraíso apenas para alguns, depois da morte; danação e tortura eterna para o resto.

Durante certo período, os reis cretences consideravam sagrado o matrimônio com uma mulher – que por ser representante da deusa era também a terra a ser fecundada – e asseguravam a ela o direito de governar. A sexualidade era associada com a deusa e os invasores temiam o poder que ela concedia as mulheres. Os sacerdotes do deus guerreiro viam o ato de amor, de expressão sexual, como algo maléfico e vergonhoso e acabaram por destruir toda experiência saudável do sexo com o epíteto: pecaminoso.

Os sacerdotes dos invasores percebiam que o feminino era forte. Porém, nada podiam fazer contra a magia da criação, o fato de que as mulheres, e somente elas, poderem dar a luz uma nova vida dentro do corpo. Então eles defendiam a idéia de que a contribuição do homem era mais importante do que a das mulheres para a concepção da nova vida.

Quando as mulheres foram estigmatizadas como criaturas malignas, pecaminosas, filhas do demônio, e depois subjugadas e dominadas pelos homens, o que perdemos foi o feminino e tudo o que ele incorpora e significa. A guerra, embora desconhecida no passado, aos poucos foi se tornando uma coisa normal. A criatividade, direito nato de todos, passou a ser exclusividade de um grupo seleto de “artistas”. Embora antes houvesse partilha, compaixão e cuidado uns com os outros e com a comunidade, o tecido da sociedade se esgarçou pela ganância das autoridades para tudo possuir e preservar. A parceira foi substituída pela competição, pela dominação e pela vitoria do macho alfa.
A terra e a fartura eram herança das mulheres com a qual elas sustentavam os filhos. Esse direito passou a ser exclusivamente dos homens.
Quando o feminino se perdeu, o sexo masculino e o feminino se separaram. Em vez de lutarem juntos pela sobrevivência, contribuindo igualmente para expressar a singularidade do masculino e do feminino, e criar a totalidade do Divino, a psique tanto dos homens quanto das mulheres sofreu uma ruptura e ficou dividida. A guerra dos sexos se iniciou, resultando num relacionamento desigual do tipo mestre e escravo, dominador e vitima.

A espiritualidade foi usurpada do individuo – a sua relação direta com a divindade – e passou a ser propriedade de entidades religiosas, que passou a tratá-la como mercadoria.
O código do graal é o que vivíamos nas civilizações antigas da grande deusa, antes que as mulheres fossem usadas como bode expiatório e os valores do feminino desacreditados e descartados. Desde que ele foi expurgado da espiritualidade predominante, ao longo do ultimo milênio, temos sido condenadas a vagar sem rumo pela face da terra, testemunhando a guerra, e a destruição, a poluição, à extinção, a ganância e a corrupção tornando-se norma. Em decorrência da perda e da desvalorização do feminino, nós nos alienamos da nossa fonte verdadeira de espiritualidade e da terra sobre cujo solo sagrado vivemos.

Como seres humanos que contêm tanto o masculino quanto o feminino, só podemos ser íntegros ou criar um mundo mais integro se restaurarmos o feminino perdido. É muito fácil ver o que precisa ser feito. Devolver ao feminino o seu lugar de respeito e sacralidade. Restabelecer o equilíbrio entre o masculino, que representa o mundo exterior, e o feminino, que representa o mundo interior.

E é muito bom sentir que as mulheres estão mais abertas e aceitam mais sua sacralidade. Sim, pois até bem pouco tempo, isso ainda era um tabu para algumas delas. Até mesmo por conta da criação que tiveram e de todos os estigmas carregados ao longo do tempo. Posso afirmar que a mensruação está “ajudando” e muito nessa conscientização do sagrado. Hoje muitas mulheres vêem essa fase na vida delas como uma comunhão com o divino e sua confirmação. Não como algo impuro e que deixa a mulher inapta ou proibida de muitas coisas.

Há sociedades que ainda vê o ciclo menstrual como uma grande punição a mulher. E algumas religiões não deixam que a mulher adentre os recintos no período em que estão no ciclo.

Bençãos...

domingo, 3 de julho de 2011

Dança Irlandesa


A dança irlandesa é fascinante! Creio que ninguem como Michael Flatley a transmitiu tão fervorosamente em seus espetáculos... The lord of The dance... O nome da música: Cry of celts.