Pesquisar

Carregando...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Fogo Sagrado

Dragão manifestado na chama - Foto do portal flor da alma
Sem dúvida, ao falarmos de fogo sagrado, seguramente lembraremos das vestais, dos templos e casas romanas cujo fiéis e habitantes eram protegidos e guardados pelas chamas de Vesta. No entanto, hoje iremos conversar mais sobre o atual fogo sagrado que creio ser importante no uso de magia, desde que esse consciente. Ou seja, não por brincadeira. Vamos entender;

Mas o que é o fogo sagrado?

Metais alquimizados: Enxofre (transmutação) - Cobre (condução) e Zinco (proteção) - Cristais de Sal Grosso (limpeza densa e liberação do elemental) - Sal Refinado (limpeza leve) Acúcar e Cacau(equilíbrio e força)), Cereais (oferenda da terra) - Ervas Sagradas ritualísticas de cultos afro-brasileiros (mistura sagrada) e Ervas de Cura da Amazônia (Harmonização e potencia).

Como tudo começou... (do blog ordem dos confederados) - Publicado em 05/05/09.

O Fogo Sagrado vem do Reino de Zaratustra e bem antes dele, dos Santuários Egípcios, de Shamballa.
Da Ordem de Salomão e seus comandados.
Da Grande Fraternidade Branca.
Materializado sob as bençãos de Saint Germain.
Propiciado pela força da Conselheira Oaska Rainha da Floresta.
Om agni Om !!!
Om Maytreia Om !!!
Eu venho da Floresta...
Quem me leva, me deu esta Ordem e me entregou este Legado

A primeira chispa do Fogo Sagrado Materializado aconteceu quando a Chama Violeta se manifestou por "acidente" durante um trabalho de limpeza de ambiente, usando determinado material alquímico e ervas, no ano de 1996.
No ano seguinte, durante ritual na escola inicíática - CEUS - Centro de Estudos Universais Shangri-lá, vieram as outras chamas e recebemos a ordem de trabalho mágico e terapêutico com esta Obra.
A partir daí fomos canalizando os elementos da composição alquímica para chegar ao ponto que estamos.
A última cor a surgir foi a chama Rubi, que apareceu no ano de 1999 um dia antes da comemoração do Pentecostes.
Tudo que passa por Flor da Alma, é transmutado no Fogo Sagrado.
A inteligência do elemental do Fogo, já fala por sí só.
O Fogo é vivo, esteja aceso ou fermentando dentro do sachê.
Todas as Chamas Sagradas se apresentam, obedecendo a uma sequência, e, no final, nos chega de presente uma faísca da Chama Rubi, após passar pela Chama Violeta.
A Chama Verde limão se apresenta por mais tempo.
É aquela que traz a verdade a toda situação (clareza, esclarecimento).
As ervas utilizadas na produção dos Expansores de Consciência, são alquimizadas com sais, minerais, cereais e ervas sagradas de ritos afros, formando o puja (oferenda) à Agni (a força do Fogo Sagrado).

Uso do fogo sagrado:

Consagração de objetos
Harmonização dos chakras
Limpeza e harmonização de ambientes
Meditação
Invocação aos mestres ascencionados
 
Já usei em alguns rituais o fogo sagrado, inclusive quando fiz a mandala com os arcanos do tarot. A chama que mais se apresenta é a verde. Mas já tive a emoção de presenciar duas vezes a chama violeta. E é simplesmente linda de viver! Aqui no ABC tinha a loja sino dos ventos que comercializava esse importante artefato. Mas agora não sei mais o local que podemos encontrar. Ainda tenho um super pacotinho que deixei para reservas, mas... Mandei (enquanto escrevia esse artigo), um email questionando sobre isso, vamos ver a resposta...Bem, para quem se interessou, seguem abaixo os sites e blogs que falam sobre o fogo sagrado hoje. Assessem e boa leitura, pois sei que vão gostar e muito!


"Ao adquir o Fogo Sagrado você passa a ter a "guarda" do mesmo. Assim foi estabelecido de acordo com a sua manifestação no planeta"

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Ser bruxa...

Ser uma bruxa é amar e ser amada.

Ser uma bruxa é saber tudo e nada.

Ser uma bruxa é mover-se entre as estrelas enquanto permanecer na terra.

Ser uma bruxa é mudar o mundo ao seu redor e você mesmo.

Ser uma bruxa é compartilhar e dar ao receber o tempo todo.

Ser uma bruxa é dançar e cantar de mãos dadas com o universo.

Ser uma bruxa é honrar os deuses e você mesmo.

Ser uma bruxa é ser mágica e não apenas realizá-la.

Ser uma bruxa é ser honrada.

Ser uma bruxa é aceitar outros que não são como você.

Ser uma bruxa é saber o que você acha que é certo e bom.

Ser uma bruxa é não prejudicar ninguém.

Ser uma bruxa é saber as formas do tempo.

Ser uma bruxa é ver além das barreiras.

Ser uma bruxa é seguir a lua.

Ser uma bruxa é ser um com os deuses.

Ser uma bruxa é estudar e aprender.

Ser uma bruxa é ser professor e aluno.

Ser uma bruxa é reconhecer a verdade.

Ser uma bruxa é viver com a terra e não apenas sobre ela.

Ser uma bruxa é ser verdadeiramente livre!

Gato Mistico

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Tarô & o Sagrado Feminino - Do blog Extase da Deusa

Encontramos na mitologia de diversos povos, vozes oraculares femininas, personagens e Deusas detentoras da sabedoria, dos destinos da humanidade e dos mistérios da vida, morte e vida.

As tríades fiandeiras Moiras (gregas), Parcas (romanas) e Nornes (nórdicas) eram ao mesmo tempo poderosas e terríveis, normalmente representadas nas figuras da virgem, da mãe e da anciã (Tríplices Deusas). Entre as Nornes, a virgem Skuld era a responsável pelas profecias e adivinhações, a guardiã do futuro, assim como Nona (grega) a que tece o fio da vida, cabendo as duas outras, a tarefa de manter e cortar o fio da vida. Na Índia, a trindade de Shaktis Saraswati, Lakshimi e Kali encarnam estas energias. Na África encontramos as Ìyá Mi Osorongà, as mães feiticeiras, como as senhoras do destino. Entre as Deusas tecelãs, a anciã Ixchel, Deusa Maia da lua, que tecendo no seu tear de cintura, é capaz de conceder respostas a seus discípulos em peregrinação ao seu oráculo situado numa ilha distante da costa. E a Deusa indígena hopi Kokyang Wuhti, conhecida também como mulher -aranha, que através do seu dom profético protege e auxilia todos seres.

As sacerdotisas, divinamente inspiradas, eram as guardiãs das artes mágicas e da divinação. Na Grécia, as Pitonisas ou Sibilas, em transe, intepretavam os sinais sagrados e comunicavam-se com os Deuses, utilizando instrumentos como espelhos, dados, fumaças, sonhos, sons de pássaros (...). Febe, a antiga Deusa grega da lua, da profecia, dos mistérios e dos segredos, dividia o oráculo de Delfos com Gaia (sua mãe) e Temis (sua irmã) embora mais tarde tenha transmitido este atributo ao Deus solar Apolo. Entre os nórdicos mulheres gyðjas e völvas manipulavam as runas e eram imbuídas de poder mágico, com especial habilidade para profecias.

Uma lista incontável de sacerdotisas são encontradas nas diversas culturas. Xamãs indígenas; Iyalorixás e Donés (...) do candomblé; mikogamis japonesas; wiccans contemporâneas(...) que através de suas danças sagradas, intuições, transes e sonhos proféticos, usam ou usaram seus corpos como espaço para o sagrado, templos da Deusa, santuários da vida, em honra a memória de suas ancestrais e de seu povo, como fontes de sabedoria e criatividade, como veículos do Sagrado feminino.


Entre os oráculos, os arquétipos femininos universais estão presentes de muitas maneiras. Dentre estes sistemas, o Tarot - que tem sua origem desconhecida, embora os registros históricos indiquem que sua redescoberta se deu na Europa na Idade Média - traz um conjunto de símbolos e alegorias que possuem uma forte correspondência com outros sistemas esotéricos. É um dos oráculos mais respeitados no mundo, sendo a versão do Tarot de Marselha a mais popular.

No conjunto de suas 78 cartas, alguns arcanos representam os arquétipos fundamentais do feminino. Além das cartas de corte dos arcanos menores, Rainhas e Princesas dos 4 elementos (Copas, Ouros, Paus e Espadas), temos entre os 22 arcanos maiores:

A figura da "Sacerdotisa" (arcano 2) revela a mulher sábia, a xamã, a bruxa, receptiva e intuitiva(yin), que esta em contato direto com o Sagrado e com a fonte de cura. Ela que representa o feminino espiritual, aconselha ao consulente que escute sua sabedoria interior.

A "Imperatriz" (3), é a mulher coroada que encarna o feminino material, é fecunda e criativa, representa a Grande Mãe que manifesta e dá vida a tudo que esta sendo gestado: filhos, sonhos, idéias, projetos. Expressa o amor através dos seus diversos dons, da arte, da sexualidade plena, do prazer, guardando também elementos arquetípicos de Deusas da beleza e do amor, como Afrodite e Oxum.

Com a "Justiça" (8 ou 11), o equilíbrio, a harmonia, o discernimento se apresentam no aspecto daquela que segura a balança e a espada da justiça, é a Palas Atena e a Maat egípcia que trazem discernimento e razão para a circunstância ou para o consulente.

A "Força" (11 ou 8) representa a energia da atratividade, da paixão, e da integração dos aspectos "instintivos" ao Self. A mulher que domina um leão com habilidade e criatividade, através da sua força interior.

Na "Temperança" (14) a integração alquímica das polaridades energéticas e psíquicas, femininas e masculinas, yin e yang, promove uma transformação profunda capaz de gerar uma mudança interior sútil para um novo nível de experiência ou estágio de desenvolvimento. Expressa harmonia e equilíbrio, presente na alegoria de uma anja, ou de uma mulher, que carrega duas jarras e permite que a água flua de um recipiente ao outro, misturando-os. É a Senhora das marés que guarda o fluxo e o refluxo das energias.

A "Estrela" (17) uma jovem inocente e nua carregando uma estrela acima da sua cabeça. Assim como a Temperança traz jarros em suas mãos, mas agora, verte suas águas na terra e na água, ambos elementos femininos. Como a chuva que lava e fertiliza a terra, representa as forças da renovação e da purificação. A confiança na Fonte e em si mesmo, a esperança, a inspiração, a conexão com o transcendente e a espiritualidade de maneira sincera.

Muitas adaptações foram realizadas em torno dos arcanos do Tarot de Marselha. A partir da década de 60, um grupo crescente de mulheres, artistas e pesquisadoras, movidas pelo interesse em fortalecer o movimento da Espiritualidade Feminina, passaram a desenvolver novas versões para o baralho, enfocando a temática do Sagrado feminino. Alguns destes trabalhos mais conhecidos são os de Kris Waldherr (Goddess Tarot), Isha Lerner (Tarot da Deusa Triplice) e Amy Sophia Marashinsky & Hrana Janto (Oráculo da Deusa).

Existem também muitos outros tarots sobre o Feminino Divino publicados e haverão aqueles que certamente aparecerão ao longo deste novo século onde os valores ligados a cultura Matrística e o Sagrado feminino estarão cada vez mais em evidência.

Artigo escrito por Shakti Lalla para o "Conselho das Deusas"(2008

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Relizando a manutenção da sua horta doméstica

Bom, hoje não fui trabalhar, tive que ir a São Paulo resolver uma questão pessoal. E como sai mais cedo do que eu esperava, aproveitei para comprar um vaso novo para mudar meu manjericão de lugar (reenvasar). Ele estava pedindo mais liberdade. E isso me fez lembrar que eu poderia escrever mais sobre ervas, pois andei deixando esse capítulo meio de lado. Então vamos lá!
Bom, antes de decidir mudar meu manjericção de vaso, posso dizer que fiz um estudo a respeito, primeiro vi que ele estava meio borocochô, então imaginei que fosse algo ligado as fortes temperaturas, vendo isso, decide deixá-lo um pouco mais na sombra. No entanto, como as coisas não mudaram muito, resolvi radicalizar. Mudei ele de ambiente. Coloquei uma pequena varinha de apoio também, pois ele está ficando bem crescidinho...
Também andei pesquisando na net a respeito, e resolvi compartilhar com vocês o assunto.

Dicas para saber quando mudar suas plantas de vaso:


- desproporção entre a planta e o vaso;
- raízes apertadas ou saindo pelo orifício de drenagem;
- a água da rega fica muito tempo na superfície antes de infiltrar-se
- terra compactada com aspecto de ‘lavada’;
- secagem muito rápida da terra;
- terra que demora demais para secar;
- solo degradado (mau-cheiro, má estruturação).

Confesso que não encontrei nenhum dos indícios acima, dessa forma o que me levrou a mudá-lo de vaso, foi mais o espaço entre ele e o hortelã que não estava lá essas coisas...Mas resolvi que também vou colocar o hortelã em outra morada, e usar o vaso antigo para plantar coentro ou salsa. Já tô sabendo que vai demorar, quando é semente é bem mais complicado.

Ao remover suas plantas de um vaso para outro, os cuidados básicos são essenciais, que são:

*Verificar se há pragas e
*Tomar cuidaddo com as raízes;

Feito isso, você terá sucesso na mudança. Sem contar é claro que você deve preparar a nova morada da plantinha da mesma maneira que fez na sua primeira. Uma dica legal que deixa os vasos com um aspecto visual bastante agradável, é o uso de cristais. Você pode colocar alguns a terra, de modo que fiquem visíveis, se puder programá-los então melhor ainda. Irão emanar energia a favor de suas plantinhas.
Tratando de pragas:

Se encontrar alguma, lave as plantas com delicadeza: as menores de cabeça pra baixo, na pia da cozinha, e as maiores no chuveiro. Você também pode lavá-las ou pulverizá-las com uma mistura de água e detergente (use uma colher de chá para cada xícara de água), enxagüando em seguida.
Outra pulverização eficaz é uma mistura de oito a dez dentes de alho cortados em lascas finas com uma colher de chá de pimenta seca, deixada numa infusão em duas xícaras de água fervente.
Coe a solução com um pano e misture a ela duas colheres de sopa de detergente líquido. Aplique durante alguns dias até a praga desaparecer.

Bem é isso. E continuo na jornada com mais e mais descobertas...Aprendendo e gostando de mecher com as plantinhas...

Abraços.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

A cruz de malta

A cruz de malta é identificada como sendo um símbolo cristão. Também denominada de "A cruz de São João". A cruz de malta foi emblema dos cavaleiros de São João que foram levados pelos turcos até a ilha de Malta. A cruz de malta foi usada na primeira cruzada.

A Ordem de Malta (oficialmente Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta, também conhecida por Ordem do Hospital, Ordem de S. João de Jerusalém, Ordem de S. João de Rodes, etc.), é uma organização internacional católica que começou como uma Ordem Beneditina fundada no século XI na Terra Santa, durante as Cruzadas, mas que rapidamente se tornaria numa Ordem militar cristã, numa congregação de regra própria, encarregada de assistir e proteger os peregrinos àquela terra.

Face às derrotas e consequente perda pelos cruzados dos territórios na Palestina, a Ordem passou a operar a partir da ilha de Rodes, onde era soberana, e mais tarde desde Malta, como estado vassalo do Reino da Sicília.

Atualmente, a Ordem de Malta é uma organização humanitária soberana internacional, reconhecida como entidade de direito internacional. A Ordem dirige hospitais e centros de reabilitação. Possui 12.500 membros, 80.000 voluntários permanentes e 20.000 profissionais da saúde associados, incluindo médicos, enfermeiros, auxiliares e paramédicos. Seu objetivo é auxiliar os idosos, os deficientes, os refugiados, as crianças, os sem-teto e aqueles com doença terminal e hanseníase, atuando em cinco continentes do mundo, sem distinção de raça ou religião.

A cruz de Malta - Símbolo do mestre Ascencionado Saint Germain

A Cruz de Malta é o símbolo principal de Saint Germain, ela simboliza a união das energias cósmicas e telúricas, a sintonia da Terra e do Céu. O homem de braços abertos se entregando ao Universo e à Vida com Fé e Determinação. A Cruz de Malta tem o poder de ampliar e manifestar novas irradiações ao seu redor onde é utilizada, já que carrega o estigma da Chama Violeta que tem o poder de transmutar, acelerar e manifestar. É o símbolo da Liberdade dos limites e das manifestação de nossos ideais na Luz.

Sente-se confortavelmente, respire a Luz Violeta, sinta que você é Luz, inspire e expire, sentindo a energia transmutadora da luz Violeta ocupar todos os espaços de seu corpo.
Visualize sob a planta de seus dois pés uma Grande Cruz de Malta envolvida na Chama Violeta, faça o mesmo a seguir com o seu chakra cardíaco e seu chakra coronário.

Sinta a Cruz de Malta nos três pontos que pulsam e vibram em total harmonia com o universo.
Agora os três pontos se expandem cada vez mais envolvendo você e e tudo a sua volta, tente expandir esta energia para a sua família, amigos, casa, cidade, país e todo o Planeta Terra.
Visualize a sua frente Sete Portais da Chama Violeta que se abrem e você passa por todos eles trazendo mais Luz à sua vida.eia

Leia um trecho do livro - A alquimia de Saint Germain a respeito da cruz de malta.

Respire profundamente e repita mentalmente:

EU SOU LUZ, EU SOU PAZ, EU SOU AMOR
EU SOU A MANIFESTAÇÃO
AQUI E AGORA

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Sibilas

O tão famoso templo de apolo tinha a seu serviço jovens gregas que eram escolhidas de famílias ricas para prestar culto ao deus Apolo e atuar como intermédio no oráculo. Eram as profetisas do templo. As também chamadas Sibilas.

Do dicionário, a definição para sibila é bruxa, mulher sábia e sacerdotisa. Embora as mais famosas fossem as que prestavam culto ao deus Apolo, existiram sibilas também em outras civilizações. como as persa, libanesa, hebraica, délfica, etrusca, etc.

As Sibilas na história:
Na Pérsia existiu uma profetisa chamada Sibilina Babilónica, e ela profetizou os feitos de Alexandre O Grande. Na Líbia, havia uma Sibila de Amon, que num templo de Amon, ( Zeus), que aconselhou Alexandre O Grande aquando da sua conquista do Egito. No templo de Apolo, em Delfos, também existia uma Sibila de grande poder, procurada por pessoas de todo o mundo.

Em Roma, existiu também uma Sibila Etrusca, que foi consultada por César. Existiu também um Livro Sibilino, um conjunto de oráculos provindos da Sibila de Cumas, compilado pelo Rei Tarquinio 534 a.C. - 509 a.C..

A sibila de Cumas era natural da jónia, ( Turquia), e o seu dom profético revelou-se desde o seu nascimento. A sibila de Cumas profetizava as suas revelações em versos.

A ela estão ligadas profecias de inestimável valor e surpreendente veracidade, sobre a grande mudança que sofreu o império romano, assim como sobre o nascimento de Jesus e o Cristianismo.

As sibilas praticavam as artes da adivinhação através do contacto com espíritos, fazendo-a através de diversos métodos. Alguns deles ainda hoje são conhecidos: piromancia, necromancia, leituras de pêndulos e varas, incorporação, etc

Na antiguidade, o dom da adivinhação era visto como uma capacidade divina, que alguns possuíam. Essas pessoas que tinham o dom de contactar com os espíritos, usavam diversos rituais como forma de invocar as divindades e também de receber delas as respostas ás suas questões. A mancia, é o termo Grego que exprime a capacidade de prever o futuro com recurso á comunicação com o mundo espiritual.

As Sibilas , ( também conhecidas por Pitias ou Pitonisas), consultavam Apolo usando métodos de incorporação, e o seu templo principal situava-se em Delfos,; Afrodite era consultada pelas suas profetizas na ilha de Chipre, onde se situava o templo de Pafos, através de meios necromânticos, usando as entranhas e os fígados de vitimas sacrificiais; A Deusa Atena era consultada atraves de um oráculo de ossos e conchas; O deus Asclépio, ( responsável por lendárias curas inexplicáveis milagres no campo da saúde), possuía o seu Templo em Tebas, e era consultado por incubação, ou seja, atraves dos sonhos.