Pesquisar

Carregando...

terça-feira, 29 de junho de 2010

Oráculos


Ao contrário do que pensamos, oráculo não seria o meio pelo qual obtemos orientações e previsões futuras, ou a cerca de algo que nos incomoda. Ou algo que desejamos saber. Oráculo de acordo com a definição seria:  "Resposta da divindade, local de consulta ou divindade consultada".

Portanto, o que algumas pessoas conhecem como oráculo por exemplo: Runas, tarot, cafeomancia, quiromancia, pedras etc. Seriam apenas o intermédio. O caminho para que a divindade se expresse.

Falando sobre oráculos, podemos citar dois que são lembrados por sua importância:

Delphos & Oráculo de Júpiter.

Delphos: Era também conhecido como oráculo de Aplo, era o local mais sagrado da ilha de Parnaso. Pessoas de toda a Grécia iam ao local para receber orientações das sacerdotisas de Apolo, também eram conhecidas como Ptonísias. Após um momento de preparação, (inalação de ervas) elas sentavam em um tripé (banco de três pernar). Elas profetizavam as informações aos consulentes.


Oráculo de Júpiter: Era mais antigo que o de Delphos, e se localizava em Dódona. Era dedicado a Zeus, e ao contrário de delphos, o sacerdósio era exercido por homens, que andavam descalços e dormiam no chão.

Lendo histórias vemos que não só os gregos, egípcios e mesopotâmios acreditavam na expressão das divindades através dos oráculos. Os judeus também acreditavam que Deus ou javeh falava com eles usando a voz de seus profetas. E dentre os mais famosos podemos citar, Moisés, Josué, Paulo de Tarso, José e tantos outros. E iam constantemente aos templos em busca do conhecimento e de respostas. Mas se analisarmos pela definição da palavra. Essa maneira de entender não seria definido como oráculo, e sim como profecia. Que seria revelada de deus, ao homem.

Esse artigo foi apenas uma breve introdução ao tema, nos próximos iremos falar sobre os meios de conexão com a divindade através dos oráculos. Falaremos então de tarot, runas, cristais, quiromancia e outros. Estudaremos as origens e uso através dos tempos.

Abençoados sejam!

Postado por Ametista

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Como montar sua pequena horta sagrada



Ao imaginar uma horta para sua casa, você logicamente irá pensar nas plantas que mais irá usar, ou para seus chás, e até mesmo para suas poções. Mas antes desse fator importante, você também precisa decidir o local que deixará suas plantas. Pois dessa informação dependerá o bom desenvolvimentos delas.
Dessa forma, o melhor lugar para montar uma horta, em terra natural ou em vazo. Seria o local que leve sol no mínimo por 04 horas.
Vamos então imaginar que iremos montar em vazos, e colocaremos plantas que usam as propriedades do solo de maneira similar. Como por exemplo o manjericão e o hortelã. Você vai precisar de:

  • Pedrinhas de argila
  • Manta
  • Terra adubada
  • Pedras de aquário
  • Adubo orgânico
  • E um vazo retangular como o mostrado no vídeo.
 Se for montar um vaso de ervas, você deverá comprá-las já nos plasticos que vem embaladas. E montar o vazo na ordem que mostra o vídeo. Tendo cuidado na hora de tirá-las da embalagem, para não quebrar suas raízes.



Agora se for usar em solo.



  • 4 kg de esterco curtido de gado – ou
  • 2 kg de esterco curtido de galinha – e
  • 1 kg de húmus de minhoca para cada m².

Como irá montar em terra, o ideal é que escolha além das que irá precisar, sementes da estação. Esse fator, irão ajudá-las no crescimento.

E claro, independente de onde você escolher manter sua horta, alguns cuidados são importantes:

  1. Regar 02 vezes ao dia em dias quentes. 01 vez nos dias frios,
  2. Coloque matéria orgânica todos os dias, e revire o material toda a semana;
  3. Verifique a presença de pragas diariamente;
  4. Capine o mato alto;
  5. E caso as plantas estejam em terra, mude-as para um lugar maior ou distribua mudas.
E não vamos esquecer também de pedir auxílio às nossas amigas dríades. Para que nosso jardim seja sempre protegido e próspero!


Fonte: Revista natureza - Ano 17
Número: 03 - Edição 195 - Nov 2006

domingo, 27 de junho de 2010

Tradições



Segundo a definição, tradição significa um conjunto de comportamentos, ações ou ensinamentos que são passados de geração para geração. Na wicca, tradição tem um significado diferente. "Sendo portanto um conjunto de rituais, regras, instrumentos, liturgia e crenças." Claudiney Prieto.
Desse modo, cada tradição tem seus rituais, e regras de comportamento e prática de magia. Embora sendo diferentes, cada uma das tradições seguem alguns preceitos fundamentais da wicca que são eles:

  • Celebração da roda do ano;
  • Respeito a terra;
  • Celebração da Deusa e do Deus;
  • O proselitismo é tido como inadimissível.

São muitas as tradições wiccanas, portanto, se um bruxo segue uma delas e deseja ter conhecimento de outra, ele deverá começar todo o aprendizado, e somente será "reconhecido" nessa nova tradição a partir do momento que nela for iniciado. Por isso, é muito comum ver bruxos e bruxas iniciadas (os) em diversas tradições. Eis algumas tradições da wicca:

  • Tradição Alexandrina: Fundada por Alex Sanders em 1960. Sendo semelhante a gardneriana. Usa basicamente magia cerimonial, e tem sua roda do ano basicamente dividida entre os rei Azevinho e o rei do Carvalho.
  • Tradição Britânica: Baseada nas tradições céltica e gardneriana.
  • Céltica: Enfoque na natureza e seus elementais. Segue o panteão celta.
  • Tradição Caledoniana ou Caledonni: Tradição que tenta preservar a antiga cultura dos escoceses. Também é chamada de hecatina.
  • Tradição Picta: Possui poucos elementos religiosos e filosóficos. Também se baseia na tradição escocesa.
  • Tradição Bruxaria Cerimonial: Usam a magia cerimonial para conexão com as divindades. Em geral usam também a magia egípcia e a cabala.
  • Tradição Diânica: Baseada principalmente no culto a Deusa.
  • Tradição Georgina: Criada por George Peterson. Bruxaria eclética, portanto usa um composto de outras tradições.
  • Tradição Ecletista: O uso de idéias de muitas tradições e fontes.
  • Tradição das Fadas: Baseada na tradição celta. Teve origem na Europa, na idade do Bronze.
  • Tradição Gardneriana: Fundada por Gerald Gardner na década de 50, na Inglaterra. Considerada como paganismo puro. Tradição considerar hierárquica, tem o sacerdote a sacerdotisa como responsáveis pelo coven.
  • Tradição wicca ou saxônica: Fundada por Raymond Buckland. Que no início era gardneriano. Fundador da bruxaria solitária.
  • Tradição Strega: Iniciou-se na Itália em 1353.
  • Bruxo solitário: Praticante solitário da bruxaria. Pode inglobar elementos das diversas tradições aos seus rituais.
Embora saibamos que algumas tradições se diferenciam também pelo uso dos artefatos mágicos. Entre todas as tradições temos objetos em comum. Que são eles:


  • Caldeirão

  • Vassoura,

  • Pentragrama
  • Livro das sombras

  • Vassoura mágica.

 Fonte: Wicca - A religião da deusa
Claudiney Prieto


Uso das ervas - Cultivo

sábado, 26 de junho de 2010

Xamanismo


Ao falarmos de xamanismo logo nos vem a imagem de um velho e sábio índio, que usa seus conhecimentos mágicos para manter sua tribo saudável e em sintonia com os poderes da mãe terra. O que não deixa de estar certo, porém com uma pequena adição.
Embora saibamos que não só os índios praticam essa magia, foram eles que a tornaram conhecida.
Xamanismo pode ser definido como um conjunto de práticas antigas que visam o auto-conhecimento e a sintonia com os poderes da natureza, através da meditação e de conhecimentos ancestrais.
As origens do xamanismo em certo são desconhecidas, mas estudos indicam que foi na era da pedra, quando o homem passou a ter conhecimento de práticas religiosas.
O xamanismo atualmente é praticado por diversas, e em algumas delas encontra suas similaridades como por exemplo os esquimós, índios da américa do norte e do sul, Oceania, Austrália, Sudeste asiático, India e China.
A prática consiste em entender o ser humano, o modo como interage com ele, com a natureza e com o povo que o cerca. O xamanismo pode ser considerado como religião, no entanto, não tem um conjunto de práticas e regras, ou até mesmo algum mestre superior em que o praticante se espelha. Mas tem suas alterações de acordo com as mudanças culturais e locais.

O xamã, é uma pessoa de poder e dominância na sociedade, mas não é considerada como santo. Ele tem apenas o conhecimento que os outros não tem, e que o conquistou pelos estudos e dedicação. E por isso merece o respeito. O xamã através do conhecimento que tem, entende a dinâmica da cura da terra, e seu ciclo.

"O xamanismo aparece como um reflexo de um Grande Espírito que pode ter vários nomes. É honrado o Criador e todas as suas criaturas, sejam pedras, animais, aves, plantas, peixes, insetos, águas, ventos e outras manifestações da natureza que compartilhamos a existência nesta vida. Essa consciência, esse alinhamento com as forças da natureza, transforma-se em poder de cura e expande habilidades psíquicas através da reconexão com a vida, com o Sagrado, com o mistério da Criação.

O foco das práticas do xamanismo centra-se nos ritmos cíclicos da natureza: nascimento, morte e renascimento, a complementaridade masculino e feminino, o contato pessoal individual com ambiente imediato da terra, com as forças da terra do sol, da lua e das estrelas. Um verdadeiro xamã enfrentou suas sombras e venceu seus medos da insanidade, solidão, orgulho, vaidade, vícios, doença, ao passar por mortes em vida. Depois disso, escolhe tornar-se curador curado, auxiliador, visionário, à serviço das pessoas".


Animais de poder no Xamanismo

O animal de poder auxilia o xamã no seu caminho e na sua descoberta.
  • Criaturas aquáticas, anfíbios = elemento água

  • Répteis = elemento terra
  • Pássaros = elemento ar
  • Mamíferos = elemento fogo
Os animais da água são freqüentemente, os guardiões de nossos sonhos, guardam conhecimentos e facilitam projeções astrais. Os anfíbios nos ensinam a refletirmos para aprendermos a usar as emoções ( água) construtivamente ( terra).

O Reino dos pássaros é o ar que interliga o Paraíso com a Terra.São os pássaros que se movem entre ambos. Fazem o caminho entre a espiritualidade e a matéria. O ar em movimento é o vento que simboliza a o movimento e a capacidade de voar, nas asas da inspiração, intuição e criatividade.
Os insetos reúnem habilidades para voar, espalhar, a adaptabilidade, a armadura, a reprodução, organização, fertilização, etc. A aranha entre os nativos americanos é ao mesmo tempo Avó e Criador, que criam novas energias dentro da existência.
Os répteis são os guardiões dos registros da Terra, ensinam a capacidade de sobrevivência.


adaptado por Ametista

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Banho de prosperidade


Banho para dar uma forçinha no dindin...Mas vale também economizar.

Ingredientes:

  • 9 rosas amarelas
  • 1 citrino
  • 1 vela amarela
  • Canela em pau
  • 2 litros de água (aproximadamente)
  • Óleo de sandalo
Quando a lua estiver mudando para a fase crescente, ou já estiver nela. ferva a água e após a fervura acrescente as rosas despataladas e suas folhas. Coloque também a canela.
Deixe esfriar, e coe. Coloque ao ar livre e coloque o citrino dentro.
Se puder colocar os restos do cozido na raíz de uma bonita planta, será interessante.

Na preparação para o banho. Unte a vela, com movimentos de cima (pavio) para baixo (base), fazendo seus pedidos, e acenda a vela.
Quando estiver quase morno, tome o banho mentalizando que as forças do universo e a lua encherão sua vida de prosperidade. E se puder, vista amarelo ou laranja.

Boa sorte!!!!

domingo, 6 de junho de 2010

Yule

Yule - O nascimento da criança

21 de dezembro hemisfério Norte
21 de junho hemisfério Sul

Yule é o momento da roda do ano que o rei Azevinho o senhor das sombras, é vencido pelo Rei do carvalho. A criança da promessa.
Yule é celebrado como o festival da luz, pois a deusa dá a luz o deus sol. Sendo portanto o ritual que simboliza a volta da luz a terra, após o período de sombra
Para os antigos celtas comemorar o Yule era o mesmo que reafirmar a continuação da vida, pois Yule é o tempo de celebrar o espírito da terra pedindo coragem para enfrentar os obstáculos e dificuldades que atravessaremos até a chegada da primavera.

Cores: Vermelho, verde, dourado e branco.
Deuses: O Deus como a criança da promessa, e a Deusa como a mãe.
Ervas: Azevinho, carvalho, visco, alecrim, urze, cedro, pinho e louro.
Pedras: Rubi, granada, olho de gato.
Comidas e bebidas: Bolos de frutas, nozes, pães variados, vinho quente e frio, uvas, maçãs e melões.

Simbologia:
Tora de Yule.
Os antigos tinham o costume de confeccionar a tora de Yule para ser usada na proteção da casa. A cada ciclo completo em Yule, a antiga era queimada, e uma nova confeccionada.
Você pode confecionar uma tora de Yule para deixar em local a vista na sua casa, ou se preferir no altar.

Para fazer a tora de Yule para o altar você vai precisar de:
  • Velas preta, vermelha e branca;
  • Fitas verdes, douradas e vermelhas;
  • Ramos verdes;
  • Um tronco fino de aproximadamente 30 cm e com três buracos.
Após enfeitar a tora, coloque as velas nos furos e acenda em seu altar como parte da comemoração.
O ritual de Yule é para comemorar a volta da luz, a chegada do novo Deus. A plenitude e fertilidade da Deusa mãe. E como é chegada do novo. É ideal para idealizar projetos e pedir força e determinação para concluí-los.

Fonte: Wicca a religião da deusa
Adaptado por ametista

sábado, 5 de junho de 2010

A lenda do Caldeirão de Cerridwen


A deusa Cerridwen era a grande anciã de Gales. Era associada à lua, ao caldeirão mágico e aos grãos. Todos os verdadeiros bardos celtas dizem ter dela nascido. De fato, os Bardos se denominavam Cerddorion (filhos de Cerridwen). Diz-se que beber de seu caldeirão mágico confere a maior inspiração e talento apoetas e músicos. A jornada ao caldeirão era parte da iniciação de um bardo, e era uma jornada perigosa, como pode ser visto na lenda de Taliesin.
Taliesin inicia sua vida como Gwion Bach. Ainda enquanto jovem Gwion vagava pelo norte de Gales e subitamente, ele se viu no fundo do lago balam onde viviam o gigante Tegid e sua esposa Cerridwen. Adeusa possuia dois filhos, um garoto e uma garota. A garota era muito bela, mas o menino era muito feio.

A deusa estava preparando uma poção para dar a seu filho para que ele se tornasse um homem sábio. Então ela pediu a Gwion que lhe ajudasse a mecher a poção. E ele a ajudou por 01 ano e um dia até que da poção restassem apenas 03 gotas. Porém o líquido quente pulou em sua mão, e ele instintivamente levou o dedo a boca. Só ai pôde perceber o erro que havia cometido, e fugiu!
Furiosa, a deusa saiu em seu encalço, e na tentativa desesperada de escapar de sua fúria, Gwion se transformou em diversos animais. E a deusa continuava seguindo e se transformando também...e foi durante muito tempo até que a deusa o capturou e o devorou, pois Gwion se transformara em um grão de milho.
Nove meses depois, a deusa deu a luz a um menino, no entanto o lançou ao mar dentro de um barquinho.
Elphin, filho de um rico proprietário de terras o viu e salvou o bebê. Ele lhe deu o nome de Taliesin que significa semblante radiante. A criança cresceu, e reteve toda sabedoria e conhecimento da poção, e se tornou um talentoso e importante bardo.

Fonte:
Texto extraído do "livro mágico da lua"
D.J Conway

Fraternidade Branca


Fazem parte da fraternidade branca mestres ascensos que vieram na terra e em vidas diversas, se purificaram e receberam a graça da ascenção. Em suas vidas tiveram o propósito de ajudar na libertação e evolução das das almas.
É a fraternidade hierárquica celestial, composta dos seres etéreos de Luz, unidos ao UM.
Os Elohim, os Arcanjos, os Anjos, os Santos e Sábios Mestres Ascensos que são os Filhos de Deus já Ascensos na Luz, e unidos ao Espírito do Deus vivente e que formam os exércitos do Senhor, e também os 144.000 seres de Vênus que se juntaram ao amado Sanat Kumara para libertar a terra das trevas.
A fraternidade tem o objetivo de manter acesa o amor de Deus na terra.
Como o propósito dessa irmandade é levar o amor de Deus através da libertação das almas, cura kármica e elevação espiritual. Ao longo da história da humanidade muitas escolas de mistérios foram por eles ajudadas. Dentre elas citamos Atlântida.
Sendo em épocas diferentes cada um dos ascensos contou com a ajuda de seus mestres para passar sua mensagem ao mundo.

1. Judaísmo - 1° Raio, o Azul, Chakra da Garganta - O raio da Vontade Divina, do Poder Divino. Através do Judaísmo entendemos as facetas da Lei Cósmica. São as fundações de nossa raiz no coração de Abraão. As qualidades de Deus que trazem ao homem: Luz, Perfeição, Vontade Divina, Proteção, Direção, Construção, Fé, Obediência, Amor a Deus e sua lei, Poder, Coragem, Ordem, Negócios, Governo Divino, energia, Aceitação de Si, agir de Acordo com a Consciência e Aceitação da Lei, Vitória, Perdão e Finalização das obrigações.

2. Budismo - 2° Raio, o Amarelo Ouro, Chakra da Coroa - O raio dourado da sabedoria, do entendimento, compreensão, discernimento. Este chakra foi representado por Gautama Buda que nos ensinou a busca da iluminação. As qualidades de Deus que trazem ao homem: Iluminação, Auto consciência em Deus, Humildade, Sabedoria, Discriminação entre o bem absoluto, o bem relativo e a maldade, Discernimento, Inteligência e Mente aberta, Aceitação do Plano Divino, Respeito a Individualidade do Próximo.

3. Cristianismo - 3° Raio, o Rosa - Chakra do coração - O raio do amor divino. O servir do Cristo Cósmico no ensinamento e do Espírito Santo na purificação, os dois atuando no nível do coração. As qualidades de Deus que trazem ao homem: Vitória, Amor Divino, Abnegação, Beleza - conforto, Graça, Harmonia, Criatividade, Magnetismo espiritual, Compaixão, Unidade, Adesão, Coesão, Comunhão com a vida, Batismo do Espírito Santo, Consciência da Vontade Divina, Disciplina, Educação do Próximo, Honestidade, Confiança, Fidelidade e Organização.

4. Hinduísmo - 4° Raio, o branco, Chakra da base da espinha. O raio da pureza a purificação do nosso corpo, mente e alma, para que possamos ser o templo do Espírito Santo. As qualidades de Deus que trazem ao homem: Pureza, Perfeição, Auto disciplina, Moralidade, Esperança, Vida, Espirais positivas, Alegria, Êxtase Espiritual, Unidade, Perfeição, Simetria, Geometria, Lei, Ordem, Comensurabilidade, "Em cima é como em baixo", Arquitetura divina, Molde de vida, Decisão, Piedade, Devoção e Harmonia.

5. Confucionismo - 5° Raio - o verde esmeralda, Chakra da 3ª visão. O raio da Verdade que cura. Traz o desenvolvimento do poder de cura através do 3° olho. As qualidades de Deus que trazem ao homem: Alegria, Verdade, Abundância, Ciência, Método, Vida, Saúde, Cura, Unidade, Rejuvenescimento, Regeneração, Precipitação direta ou indireta do Espírito para a matéria, Respeito ao Próximo, Obediência e Respeito a Lei, Visão Divina, Felicidade, Abastança.

6. Islamismo - 6° Raio - o púrpura e dourado, Chakra do Plexo Solar. O raio do Ministério e Serviço. As qualidades de Deus que trazem ao homem: Paz, Ministério e Serviço, Fraternidade e família, Certeza, Focalização da Vontade, Esperança e Fé no futuro, Justiça, Satisfação e Paciência.

7. Taoísmo - 7° Raio - o Violeta, Chakra da Alma. O raio da transmutação e da liberdade da justiça e da misericórdia. O Raio de Saint Germain, de Kuan Yin. As qualidades de Deus que trazem ao homem: Liberdade, Justiça, Tolerância, Misericórdia, Perdão, Ritual de vida, Invocação do Fogo Sagrado, Ação do fluir da Luz, Energia, Diplomacia, Tato, Postura, Ciência da Alquimia, Transmutação da Lei da transcendência, Profecia, .Amor, Compaixão e Oração para servir ao Próximo, Gratidão, Dedicação, Reflexão e Serviço Espiritual.

8. Zoroastrismo - 8° Raio - o pêssego, Chakra da câmara secreta do coração. Este é um raio intermediário, que ativa os dos 5 chakras secretos

Dessa forma, cada religião em sua particularidade ajuda na abertura dos chakras e desenvolvimento de almas.

E o esoterismo estuda o que é contido no âmago de cada uma das citadas acima.

Mestres da fraternidade branca - Os 7 primeiros raios:

El Moriah - 1º Raio Cor Azul - A vontade de Deus;
Lanto - 2º Raio Cor dourada - Sabedoria, equilíbrio e iluminação;
Rowena - 3º Raio Cor Rosa - Simboliza o amor espiritual e físico;
Seraphis Bey - 4º Raio Cor Braca - Ascenççao, harmonia e paz;
Hilarion - 5º Raio Cor Verde - Cura física e espiritual;
Nada - 6º Raio Cor Rubi - Dinamismo, coragem e força;
Saint Germain - 7º Raio Cor Violeta - Libertação e transmutação.


Decreto do primeiro raio: Mestre El Moriah:



Clavículas de Salomão


Salomão filho de Davi e Betsebah. O filho caçula do rei. Desde pequeno ouvia vozes, e foi ungido por Deus para ser rei aos 12 anos de idade. Ao receber o próprio Deus eu sem leito, foi questionado sobre o que queria ter de Deus. E sua resposta foi sabedoria. Salomão, sem dúvida, foi o rei mais sábio de todo o império israelita.
As clavículas de Salomão são as chaves que guardam os mistérios da coluna do meio. Por ser tão sábio, a Salomão foi dado o poder de controlar os seres inferiores. E usou para isso os símbolos planetários dos gênios, e a simbologia dos pantáculos.

Por Ametista

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Poções


Quando falamos em poções, falamos também de transformação, sempre que desejamos transformar algo para melhor ou finalizar um assunto que nos incomoda, preparamos um banho, tomamos e pronto. Nos sentimos até mais leve. Pois bem, o banho não deixa de ser uma poção. Dessa forma, poção é um líquido com efeitos mágicos que preparado com determinados ingredientes ajuda na consecução de objetivos.
Durante toda a história, as poções sempre foram associadas às bruxas. Pois temos fama de não esperar a ação do tempo, e levamos em conta uma das leis da wicca que diz: "Sem ninguém prejudicar, faça sua vontade valer". E as poções são sempre bem vindas nesse caso. Como o caldeirão é a representação do útero da grande mãe, é nele que as bruxas preparam suas poções de poder.
Eis alguns tipos de poções.
  • Poções de asperção: Os chamados aromatizadores de ambiente. Esse tipo é mais indicado na proteção de ambientes, ou para ação junto à todos que frequentam aquele local.
  • Banhos: De uso pessoal. Geralmente para limpeza ou para a realização de algo.
  • Solúveis: Geralmente preparadas em grande quantidade, cuja finalidade é misturá-la a outras poções.
  • Perfumes: Águas de cheiro, perfume ou óleos.
Dicas:

Ao se preparar uma poção, devemos levar em consideração diversos aspectos astrológicos, como a fase lunar, o horário e o dia. Sendo esses os detalhes maiores, ou seja, pode interferir no sucesso de sua poção. Agora temos os detalhes menores. Aqueles que não interferem na magia, como por exemplo a roupa que estiver vestindo.

Para fabricação de poções devemos ainda levar em consideração os agentes dessa poção. Temos então o agente ativo o principal ingrediente. O que irá agir mais. O agente catalisador. O que vai provocar a união dos ingredientes, sem alterar a essência dos mesmos. O irradiador, o que dar poder a poção/pó. E o Potencializador, o que aumenta o poder. Sendo assim, o ideal de poção, é aquela que contém ao menos um dos elementos citados acima. Dessa forma, há o equilíbrio.



Consagração:

Como foi feito um pó cuja finalidade é conseguir algo. Logicamente precisa ser consagrado às deidades ou egrégoras para que sua força seja aumentada. E ainda mais se houve alguma ajudando no preparo. Então as regras astrológicas para consagração de poções não é diferente das mesmas a serem anotadas no seu preparo. Porém as palavras são suas. Você usa seu poder pessoal, e nada mais correto, visto que a poção foi preparada com a finalidade que você determinou. Você pode ainda usar as cores, e formas para compor seu ritual de consagração. Seguindo a tabela abaixo:

Cores:

Amarelo: ligada ao sol, portanto realização. Cor da comunicação
Verde: bens materiais, saúde física.
Azul: Espiritualidade
Vermelho: Impulsividade, cor da coragem e sensualidade
Rosa: Sentimentos. Amor incondicional
Branco: Pureza e harmonia
Violeta: Transformação, transmutação, espiritualidade.

Dias da semana:

Segunda: Lua - Indicado para trabalhos mágicos
Terça: Marte - Sucesso em negócios
Quarta: Mercúrio - Coragem e determinação
Quinta: Júpiter - Limpeza
Sexta: Venus - Amor
Sábado: Saturno - Limpeza. Acabar com o velho
Domingo: Sol - Realização e riquezas.

Bençãos dos antigos!

Fontes:
Tratado completo de alta magia
Revista Wicca - Alquimia

Magia dos dragões


Na magia dos dragões assim como na wicca temos alguns instrumentos que nos ajudam a conectar com essa poderosa egrégora. E também como na wicca, você não precisa sair correndo desesperado atrás deles. Quando você estiver pronto, eles vem até você. Acredite! Você pode adquirir em lojas especializadas, ou se preferir, confeccionar o seu.

Ao confeccionarmos os instrumentos, devemos levar em consideração também a fase da lua. Pois disso dependerá a força e poder que o instrumento terá. Claro que não vai adiatar você consagrar um instrumento na lua cheia, e nunca o usar em seus rituais. Ele perderá a força, pois todo instrumento deve ser usado nos rituais para assim ganhar poder. Voltando aos dragões...

Os instrumentos que sabemos ser importante para os rituais com dragões são:

  • Espelho dos dragões,
  • Espada ou Athame;
  • Caldeirão;
  • Caixa dos dragões;
Como é uma magia diferente da wicca, seria importante ter um altar somente para eles. E recomenda-se sempre fazer rituais, convidando seu dragão pessoal para acompanhá-lo. E assim tornar seus instrumentos cheios de poder e também te aproximar cada vez mais deles.

Bençãos dos antigos!

Fonte: Ametista

Ártemis, a caçadora. Senhora dos animais, da floresta e da lua.


Irmã gêmea de Apolo Deus do Sol. Era a parte oposta, a Lua.

Ártemis era filha de Zeus e Leto.

Leto, amante de Zeus, precisou fugir para dar a luz aos filhos de Zeus, pois Hera, sua enciumada esposa descobrira o fato, e estava decidida a se vingar. Leto foge então e dá a luz no monte Cinto. Por isso, Ártemis, é também chamada de Cíntia.

Ártemis, era a Deusa dos bosques e da caça, e havia feito o voto de castidade. Por ser tão independente e não precisar se relacionar com homens, as Amazonas a cultuavam. Pois, como eram guerreiras, não tinham a necessidade de ter maridos para protegê-las. Somente se relacionavam em determinadas épocas com o único intuíto de reprodução.


Templo de Ártemis